HOME
Tempo livre também é coisa séria
A criatividade é uma característica valorizada. E a criança a desenvolve brincando

É melhor manter a criança ocupada o dia todo, com as mais diversas atividades, para que ela não fique com tempo ocioso, sem “fazer nada”, certo? Não exatamente.

Concordando com o conceito de ócio criativo do pensador italiano Domenico di Masi, a criança precisa de um tempo “livre”, no qual ela vai brincar, desenvolver a criatividade, inventar histórias, sonhar... Muito mais importante que encher o horário da criança com aulas é saber a qualidade dos cursos e o interesse da criança naquela atividade.

Até os dez anos, é bastante comum a criança se interessar bastante por um assunto depois deixá-lo de lado. Com isso, muitos pais acabam matriculando o filho em todas as aulas que ele demostrou interesse, mas acabará largando em alguns meses.

Segundo especialistas, o ideal é que os pais escolham as atividades pelas quais os filhos realmente se interessam e acompanhem o desempenho da criança. É claro que nem toda criança que faz natação vai ser um nadador profissional, ou quem joga futsal vai ser o novo Falcão. Mas é importante insistir para que a criança faça aquele curso por pelo menos um ano. Assim terá uma visão mais ampla e verá se gosta ou não da atividade.

Em entrevista ao UOL, Silvia Amaral de Mello Pinto, conselheira e membro titular da Associação Brasileira de Psicopedagogia, defende que as crianças devem ter pelo menos duas horas livres todo dia para que façam as atividades que gostam, sem cobranças por resultados ou com a rigidez de uma aula.

Nós sabemos que a criatividade é uma característica cada vez mais valorizada em todas as etapas da vida. E a criança desenvolve a criatividade principalmente brincando. Então, antes de montar os horários das atividades extracurriculares, respeite este tempo livre.

Marlene  08/03/2013

Gostei muito destas p-alavras, isto estimula a criatividade, atitude e ação. Obrigada

Teste  06/02/2014

ssaddsa

ESCREVA AQUI SEU COMENTÁRIO:
NOME:

E-MAIL:

COMENTÁRIO: