HOME  / CURSOS
Inglês

Objetivos

São objetivos do curso extracurricular de inglês comprometer os alunos com seu processo de aprendizagem da língua inglesa e promover a formação deles com estratégias linguísticas para interagir e se comunicar em diferentes situações de seu cotidiano.

 

Concepção de ensino-aprendizagem

Segundo nossa concepção de ensino e aprendizagem de uma língua estrangeira, a aquisição linguística é um processo de médio a longo prazo e se dá por meio de exposição à língua-alvo, de prática guiada e de sistematização. Esse processo deve necessariamente adequar-se a cada faixa etária, à etapa formal da aprendizagem e às características individuais dos alunos. 

Pensamos também que o aprendizado do inglês como língua estrangeira deve contemplar quatro habilidades linguísticas: comunicação oral (speaking), compreensão oral (listening), comunicação escrita (writing) e compreensão escrita (reading). Apesar de serem essencialmente indissociáveis (o falante é ouvinte, e o escritor é leitor), acreditamos que o desenvolvimento, a apresentação e a ênfase em uso de cada uma dessas habilidades devem respeitar as mencionadas condições: idade e etapa de aprendizagem dos alunos.

Assim, nossos cursos no período da Educação Infantil, por exemplo, dão ênfase à prática oral, expondo os alunos ao inglês e encorajando-os a dizer palavras, frases, textos curtos, rimas... e cantar canções. A alfabetização sistemática em língua estrangeira deve ser cuidadosa para não interferir no estudo da língua materna, de modo que, quanto mais experiente for o aluno em relação à própria língua, melhor preparado estará para a aquisição da escrita e da leitura no idioma estrangeiro. Ao longo dos anos, no entanto, os alunos devem vivenciar equilibradamente às quatros habilidades.

Quanto à gramática, está conjugada ao contexto da comunicação, pois é ferramenta intrínseca a frases e textos e é naturalmente assimilada, com a prática da língua.

 

Metodologia e estratégias

A metodologia adotada é a de projetos didáticos, que tem em conta as etapas de aprendizagem do inglês como língua estrangeira, assim como o interesse e as necessidades de cada grupo. Sendo eminentemente comunicativa, favorece o engajamento dos alunos e põe-nos em ação diante do desafio de usarem os recursos linguísticos a que foram expostos.

As estratégias de ensino se apoiam em brincar, fazer e sistematizar.Na primeira infância, as brincadeiras e, mais tarde, os jogos com regras preestabelecidas são formas de experimentar, expor emoções, interagir com o mundo e aprender.

O brincar, atividade fundamental para o desenvolvimento emocional, na medida em que suscita reflexão sobre o respeito ao outro, às regras, ganhar e perder, no contexto do aprendizado da língua, também promove prática, fixação de estruturas e habilidades comunicativas.

O fazer relaciona-se ao princípio do active learning, segundo o qual os alunos têm uma postura ativa no seu processo educativo.

O sistematizar implica em recuperar conteúdos e organizá-los. A sistematização proposta pelo professor tem a dupla finalidade de criar recursos concretos para referências futuras e subsidiar a internalização do conhecimento.

Um curso que se oriente pela ideia de brincar, fazer e sistematizar levará a um aprendizado significativo e agradável.

 

coordenação da área:Cristina Ramos[1]

professoras: Camila Miranda[2], e Cecília Silva Furquim Marinho[3]

destinado a:alunos do G4 (educação infantil) ao 5º ano (ensino fundamental)

vagas:12 para turmas (G4 a 1º ano)

              14 para turmas (2º e 3º ano)

              14 para turmas (4º e 5º ano)

 



[1]
Maria Cristina Ribeiro Ramos é graduada em língua e literatura inglesa pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Lecionou na Cultura Inglesa, bem como no ensino fundamental I e II, e ensino médio em algumas escolas regulares. Ensinou crianças, adolescentes e adultos de todos os níveis de proficiência, inclusive dando cursos de tradução e de inglês para professores na Cultura Inglesa. É examinadora oficial da Universidade de Cambridge e, atualmente, professora de inglês do ensino médio e coordenadora da área de língua estrangeira no Colégio Oswald de Andrade. Desde o início, participou ativamente na construção do projeto do curso de Inglês da Oficina Toka.

[2]Camila Mirandaé formada em Arquitetura pela Universidade de São Paulo e em Arte Educação pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Certificada como professora de inglês com o TKT (Teaching Knowledge Test) pelo instituto Cambridge English Language Assessment. Vem se dedicando à língua inglesa desde a infância, mas adquiriu proficiência principalmente como autodidata. Dentre suas experiências profissionais, exerceu arquitetura, lecionou Arte Digital para jovens com Transtornos Globais de Desenvolvimento, atuou como educadora nas Oficinas do Brincar em Inglês do Espaço Familiarte e como professora para crianças e adolescentes na Seven Idiomas. Desde o início da Oficina Toka atua como professora de inglês.

[3]Cecília Silva Furquim Marinho é professora há mais de 20 anos. Sua primeira carreira foi ligada ao teatro, interpretando e ensinando atuação numa escola profissionalizante de atores e em oficinas culturais.  A partir de 1995, começou carreira ligada às Letras, graduando-se e licenciando-se em Inglês/Português pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, onde defendeu dissertação mestrado em Literatura Brasileira em 2013. Complementou seus estudos acadêmicos com um semestre de imersão na língua inglesa em Londres. Possui os certificados CPE (Certificado de Proficiência em Inglês) e COTE (Certificado para Professores de Inglês como Língua Estrangeira) da Universidade de Cambridge e tem ensinado inglês em escolas de línguas, escolas regulares e faculdade. Também atua como tradutora de poesia na língua Inglesa, tendo lançado o seu primeiro livro/CD no início de 2014 pela editora Melhoramentos: "A coruja, o gato e os filhotes" de Edward Lear. Atualmente o ensino de inglês para crianças tem sido um de seus focos de interesse e atuação.